22.7.06



Se fosse um livro da Ana Teresa Pereira ele matava-a no fim.

Fiquei com vontade de ler "Histórias policiais".

2 comentários:

Anónimo disse...

Já consideraste que o abraço final é tão mortífero como qualquer frasquinho de veneno? Acho que ela não sobreviverá à próxima curva.
M.

r. disse...

Também fiquei com a sensação de que ele só ficou à espera que as luzes se acendessem...