18.10.06

Quando o trabalho não me dá descanso, penso em seguir uma nuvem qualquer.

"Há sujeitos que não gostam de fazer coisa nenhuma senão estar a olhar para uma nuvem. Eu considero esses tipos utilíssimos, porque ninguém sabe o que sairá dali. Não se conta aquela história de que a lei da gravitação apareceu por ter caído uma maçã na cabeça do Newton? Não era obrigatório que o Newton estivesse a estudar matemática na altura em que lhe caiu a maçã na cabeça...podia estar a dormir debaixo da árvore, ou qualquer coisa assim, eu sei lá!"

Agostinho da Silva, em conversa com Gil de Carvalho e Manuel Hermínio Monteiro
"Ir à Índia sem abandonar Portugal"

9 comentários:

Mushroomdeluxe disse...

Um bom sentido de oportunidade vale ouro... Mesmo quando nos ensinam a valorizar o esforço, há que deixar sempre espaço para o acaso.

marta disse...

Há sempre que deixar espaço para pensar, sonhar e divertir. Fundamental! E ninguém como Agostinho da Silva o soube explicar tão bem.

h disse...

maravilhoso como sempre este agostinho! Gosto muito quando disse" Não nos definimos pelas ideias que temos, mas pelas ideias que somos!"

Vim aqui, por acaso, atrás duma nuvem
voltarei...

vague disse...

:)

Um fotógrafo que fotografou a tribo Masai Mara no Quénia comentou que 'ficavam horas infinitas a olhar o céu',
logo acrescentando à conversa

'conhece actividade mais nobre que olhar o céu'?

Lis disse...

Uma reposição das entrevistas de A. da Silva há pouco tempo na tv fez-me sempre parar e sentar no sofá...

psique disse...

Adoro o Agostinho da Silva, sempre me encanto com a sua pertinência.
Homem que observa e que interioriza o que vê nas coisas simples.

APC disse...

Grande Agostinho. Grande Ganho. Grande Perda. E sim, que por vezes são as ideias que nos encontram!
:-)

Rita Oliveira Dias disse...

Isso é que é falar, não é possivel saber que momentos de preguiça nos levam depois a ser criativos.Abraço

dora disse...

obrigada pela visita

( e pelo rasto )