28.1.09


"Je regarde simplement ce plaisir que nous avons en compagnie l'un de l'autre."

"Le ciel devrait avoir aussi le cœur qui s'ouvrait, car il s'est mis à pleuvoir à cet instant précis. Le ciel a un grand cœur, il a plu jusqu'à la fin du mois de juillet."


É um primeiro romance.

Há uma mulher que conta o seu passado a um homem. Não sabemos quem é nem chegaremos a sebê-lo. Todo o livro é a história desse passado em que três crianças de três homens diferentes partilham o mesmo espaço, com a mãe, com os três pais, com amigos, vizinhos, amigos de amigos. O espaço chama-se « o acampamento ». Vivem em caravanas enquanto se dedicam à construção de uma casa que nunca acabará. Vivem com poucos recursos, nunca chegarão a ter agua quente mas são felizes… até ao dia em que esse simples facto constitui pretexto para a escolha de uma vida diferente.

Ē um livro de leitura fácil. Conseguimos ter alguma simpatia por esta mulher cheia de bons sentimentos. A história ou « a vida da história » de « desenrasca » que dura anos torna-se sufocante. Pouco se sabe como é que todo o passado relatado no livro contribuiu para o presente.


Les Ruines de la Future Maison, Hélène Dassavray, à plus d'un titre

2 comentários:

magarça disse...

Acho que ainda não está traduzido por cá.. bjs

Dual disse...

Olá Eu passei aqui e Ritov blog.
Saudações e domingo feliz.
Gio '