6.9.06

GARDEN - PARTY COM VISTA PARA O MAR


(...)
ROGÉRIO
Querida amiga!

IRENE
Não estou tão velha assim para me tratar por querida amiga.

ROGÉRIO
Não. Querida é uma coisa, amiga é outra.

IRENE
Trouxe o Miguel comigo. Pensei assim: quem tenho eu que diga bem com um relvado à beira-mar? Só Miguel, que tem um ar pensativo. Um homem vicioso tem sempre um ar pensativo.

MIGUEL
Vicioso, eu? Eu gosto de mulheres, é tudo.

IRENE
Já ninguém gosta de mulheres. Só por aberração. Até acho justo. As mulheres eram enfadonhas, agora são duma vulgaridade horrível. Não a sua, Rogério. Leonor é...

LEONOR
Encantadora, já sei.

IRENE
Não se subestime. Uma mulher encantadora está perto de só ser recordada pelas fotografias de férias. Não é isso. Para começar você faz dez anos de casada. Quer melhor motivo para ser notável? Ninguém faz mais dez anos de casada. É uma idade rupestre. Devia ser gravada na pedra a vinte metros de profundidade.

LEONOR
Está gravada a cem metros de profundidade.

IRENE
Como faz para respirar?

LEONOR
Não sei. Essas coisas não se chegam a saber.

(...)

Excerto de Party, os diálogos escritos por Agustina Bessa-Luís para o filme de Manoel de Oliveira.

Há mais aqui

3 comentários:

Rui Pedro disse...

Manuel de Oliveira sempre!

Andreia disse...

A ironia da Agustina suplanta a voz e a presença visual das personagens, apesar de serem explicitamente decalques. Ver o diálogo escrito dá-lhe um tom mais intenso.

Lis disse...

Estiveram ambos, hoje, na Faculdade de Letras do Porto...tinha logo de ficar doente esta semana!

R. Obrigada por ter ido lá a casa...volta sempre.